Tamanho do texto maiorTamanho do texto pequeno
E-Mail
Senha
 
 
  Esqueci a senha  
  Acesso bloqueado  
  Cadastre-se

 
  Notas e Notícias
  Perguntas & Respostas
  Nutriletter
  Teses e monografias
  Diretrizes e Legislação
  Manuais
  Anais de Congressos
  Entrevistas
  Aulas
  Tabelas
  Pirâmides
  Cálculos
  Livros
  Links
  Glossário
 
  Anorexia e Caquexia
  Diabetes
  Imunonutrição
  Fibras
  Nutrição Parenteral
  Probióticos
  Nutrição e Saúde Ideal
  Suplementos Orais
  Terapia Nutricional
  Nutrição Enteral
  Paciente Crítico
  Lipídios em NE
  Nut. Perioperatória
  Fibras em NE
  Nutrição Clínica
  Fórum HMB
  Nutribunal & NSI
  Probióticos em cápsulas
 
  Nutrirepórter
 
  Enquete
  Cartas
  Agenda de eventos
  Ajuda
  Fale Conosco
 
  Quem Somos
  Mapa do Portal
 
  ICNSO
  GANEP
 

 
 
 


 
 
DETALHES - P&R

Autor(a):       Tatiana Olivato Carvalho
Data:             23/10/2008 21:45:19


Os antiácidos podem alterar a absorção de nutrientes?

Sim, os antiácidos alteram a absorção de algumas vitaminas e minerais. Dependendo do tipo de antiácido, a inibição da absorção de nutrientes se modifica.

O hidróxido de alumínio, por exemplo, interage com o fósforo diminuindo sua absorção, assim como vitamina A, vitamina B12, ácido fólico, ferro, potássio e cálcio, que também são menos absorvidos. Por isso, pacientes que usam medicamento contendo ferro e ácido fólico devem esperar por duas horas para ingerir o antiácido e três horas para consumir frutas.

O carbonato de alumínio interfere na absorção de fosfatos, ferro e potássio. Já o fármaco que associa hidróxido de alumínio ao carbonato de magnésio, inativa a tiamina e diminui a absorção de vitamina A, folacina, potássio, cálcio e ferro. A recomendação é que qualquer destes fármacos seja ingerido de uma a três horas após a refeições, para que não interfira na absorção destes nutrientes.

O hidróxido de magnésio diminui a absorção de ferro, cálcio, vitamina A e B12 e pode causar vômitos, náuseas e diarréia. O magnésio adere à parede do intestino e o meio torna-se hiperosmolar. Isso faz com que a água saia da parede intestinal para o lúmen, provocando diarréia e conseqüente perda de alguns nutrientes.

O carbonato de cálcio deve ser ingerido de uma a três horas após as refeições para minimizar os efeitos na absorção de cálcio, ferro e fosfato, pois o carbonato de cálcio pode formar complexos insolúveis no trato gastrintestinal. Já o leite de magnésia, outro tipo de antiácido, pode levar a diarréia e vômitos e conseqüente diminuição na absorção dos nutrientes ingeridos.

Os profissionais de saúde devem considerar as alterações que os antiácidos podem provocar no trato gastrintestinal para preveni-las ou tratá-las. E, ainda, devem estabelecer uma conduta dietoterápica adequada devido à absorção prejudicada de alguns nutrientes.


Bibliografia (s)

N.T.R. Interações provocadas por fármacos mais prescritos no tratamento de algumas patologias. In: Reis NT. Nutrição Clínica: Interações. Rio de Janeiro; Rubio, 2004. p. 95-107.

Russell RM, Golner BB, Krasinski SD, Sadowski JA, Suter PM, Braun CL. Effect of antacid and H2 receptor antagonists on the intestinal absorption of folic acid. J Lab Clin Med. 1988;112(4):458-63.

Gugler R, Allgayer H.Effects of antacids on the clinical pharmacokinetics of drugs. An update. Clin Pharmacokinet. 1990;18(3):210-9.

Gilbar PJ. Guide to enteral drug administration in palliative care. J Pain Symptom Manage. 1999; 17(3):197-207.

Lourenco R. Enteral feeding: drug, nutrient interation. Clin Nutr. 2001; 20(2):187-93.

Seifert CF, Johnston BA, Rojas-Fernadez C. Drug administration through enteral feeding catheters. Am J Health Syst Pharm. 2002, 59(4):378-79.




 
 




In compliance since 2001




 
 
Copyright by Nutritotal. Todos os direitos reservados.     Tecnologia : Fermo Sistemas .     Design gráfico : Junco Estúdio Gráfico    Videos : PW Video Server