Tamanho do texto maiorTamanho do texto pequeno
E-Mail
Senha
 
 
  Esqueci a senha  
  Acesso bloqueado  
  Cadastre-se

 
  Notas e Notícias
  Perguntas & Respostas
  Nutriletter
  Teses e monografias
  Diretrizes e Legislação
  Manuais
  Anais de Congressos
  Entrevistas
  Aulas
  Tabelas
  Pirâmides
  Cálculos
  Livros
  Links
  Glossário
 
  Anorexia e Caquexia
  Diabetes
  Imunonutrição
  Fibras
  Nutrição Parenteral
  Probióticos
  Nutrição e Saúde Ideal
  Suplementos Orais
  Terapia Nutricional
  Nutrição Enteral
  Paciente Crítico
  Lipídios em NE
  Nut. Perioperatória
  Fibras em NE
  Nutrição Clínica
  Fórum HMB
  Nutribunal & NSI
  Probióticos em cápsulas
 
  Nutrirepórter
 
  Enquete
  Cartas
  Agenda de eventos
  Ajuda
  Fale Conosco
 
  Quem Somos
  Mapa do Portal
 
  ICNSO
  GANEP
 

 
 
 


 
 
DETALHES - P&R

Autor(a):       Rita de Cássia Borges de Castro
Data:             02/07/2012 08:39:11


O que é fucoxantina e quais são as suas aplicações clínicas?


A fucoxantina é um pigmento presente em algas pardas ou marrons comestíveis, como a Undaria pinnatifida (Wakame), Hijikia fusiformis (Hijiki) e Laminaria japonica (Ma-Kombu). Trata-se de um carotenoide pertencente à classe dos que não são convertidos em vitamina A (não pró-vitamina A) e está relacionado com propriedades antioxidantes, anticâncer, antiobesidade e antidiabetes.

Estudos experimentais demonstram efeitos promissores da fucoxantina incluindo a melhora da saúde cardiovascular, redução da inflamação, diminuição dos níveis de colesterol e triacilglicerois plasmáticos, controle da pressão arterial e melhora da função hepática. Neste sentido, suas aplicações têm sido relacionadas com a prevenção e tratamento da síndrome metabólica, obesidade e outras doenças crônicas. Além disso, esses estudos verificaram que a suplementação com a fucoxantina isolada é segura e não está relacionada com efeitos adversos.


Uma das aplicações clínicas mais promissoras é na obesidade, pois a fucoxantina aumenta a quantidade de energia liberada na forma de calor no tecido adiposo, ou seja, aumenta a termogênese. O mecanismo de ação está associado com a indução da expressão da proteína desacopladora-1 (UCP-1, também conhecida como termogenina) no tecido adiposo branco, levando ao aumento da oxidação de ácidos graxos e produção de calor. No entanto, apenas um estudo realizado em humanos avaliou a eficácia da suplementação de fucoxantina na perda de peso. O estudo foi realizado por Abidov M. e colaboradores, em que testaram um suplemento contendo fucoxantina (2,4 mg), durante 16 semanas, em 151 mulheres obesas na pré-menopausa. A dieta foi reduzida para 1800 kcal por dia, com 50% de carboidrato, 30% de proteína e 20% de gordura. Os resultados demonstraram que houve redução significativa do peso corporal, massa gorda e pressão arterial, além de diminuição dos níveis de triacilglicerois e marcadores inflamatórios.


Portanto, apesar dos estudos experimentais encontrarem efeitos benéficos da fucoxantina, os estudos em seres humanos ainda são escassos e existem poucas informações a respeito de sua dosagem na prevenção e tratamento de doenças. Por isso, é necessário cautela para realizar sua recomendação.



Bibliografia (s)

D'Orazio N, Gemello E, Gammone MA, de Girolamo M, Ficoneri C, Riccioni G. Fucoxantin: a treasure from the sea. Mar Drugs. 2012;10(3):604-16.

Abidov M, Ramazanov Z, Seifulla R, Grachev S. The effects of Xanthigen in the weight management of obese premenopausal women with non-alcoholic fatty liver disease and normal liver fat. Diabetes Obes Metab. 2010;12(1):72-81.




 
 




In compliance since 2001




 
 
Copyright by Nutritotal. Todos os direitos reservados.     Tecnologia : Fermo Sistemas .     Design gráfico : Junco Estúdio Gráfico    Videos : PW Video Server