Tamanho do texto maiorTamanho do texto pequeno
E-Mail
Senha
 
 
  Esqueci a senha  
  Acesso bloqueado  
  Cadastre-se

 
  Notas e Notícias
  Perguntas & Respostas
  Nutriletter
  Teses e monografias
  Diretrizes e Legislação
  Manuais
  Anais de Congressos
  Entrevistas
  Aulas
  Tabelas
  Pirâmides
  Cálculos
  Livros
  Links
  Glossário
 
  Anorexia e Caquexia
  Diabetes
  Imunonutrição
  Fibras
  Nutrição Parenteral
  Probióticos
  Nutrição e Saúde Ideal
  Suplementos Orais
  Terapia Nutricional
  Nutrição Enteral
  Paciente Crítico
  Lipídios em NE
  Nut. Perioperatória
  Fibras em NE
  Nutrição Clínica
  Fórum HMB
  Nutribunal & NSI
  Probióticos em cápsulas
 
  Nutrirepórter
 
  Enquete
  Cartas
  Agenda de eventos
  Ajuda
  Fale Conosco
 
  Quem Somos
  Mapa do Portal
 
  ICNSO
  GANEP
 

 
 
 


 
 
DETALHES - P&R

Autor(a):       Camila Garcia Marques
Data:             17/03/2006 13:16:08


O que é e quais os cuidados nutricionais que devem receber os pacientes com gota?

A gota é uma doença reumatológica caracterizada pelo aumento sangüíneo nos níveis de ácido úrico (hiperuricemia). Em geral, quando o organismo decompõe os produtos de excreção das purinas, produz normalmente o ácido úrico, que passa pelo sangue e posteriormente pelo rim para ser eliminado na urina. Em pacientes com gota, não ocorre a excreção do ácido úrico adequadamente, ocorrendo um acúmulo de sua concentração no sangue.

A hiperuricemia é caracterizada por valores de ácido úrico sangüíneo acima de 7,0 mg/dl. Quando a hiperuricemia ocorre, há deposição de cristais de monourato de sódio nas articulações e tecidos circundantes, como na hélice do ouvido, cotovelo, dedão do pé, entre outros. Esse acúmulo pode causar inflamação nos tecidos articulares e levar a sintomas crônicos da artrite, havendo também a possibilidade de se desenvolverem cálculos renais de ácido úrico e, mais tardiamente, doença renal, devido à sobrecarga da função renal. Porém, a hiperuricemia pode desenvolver-se independentemente à gota.

Recomenda-se que pacientes com gota tenham dieta baixa em alimentos que contêm purinas: é necessário reduzir o consumo de sardinha, anchova, frutos do mar, aves domésticas, carnes, miúdos (como rim e fígado), feijão, soja, ervilha e outros. A dieta não pode ser de muito baixa caloria e não deve haver jejum prolongado, pois ambos podem aumentar os níveis de ácido úrico no sangue devido à acidose metabólica e pelo estado de hidratação do compartimento do líquido extracelular, influenciando a reabsorção tubular de íons filtrados e de ácido úrico.

É incentivada a ingestão de líquidos para estimular a excreção de ácido úrico. Também se orienta diminuir o consumo de álcool, pois este leva a hiperuricemia. Uma possível explicação para este fenômeno é de que há competição entre os metabólitos do álcool e do ácido úrico para a excreção renal. Além da dieta orientada, faz parte do tratamento o uso de medicamentos que aumentem a excreção ou diminuam a produção de ácido úrico.


Bibliografia (s)

Rachid A. Gota 2001. Rev Bras Reumatol. 2001:41(1):27-36. Disponível em:
http://www.revbrasreumatol.com.br/pdf/410105.pdf. Acessado em 17/03/2006.

Maduro IPNN, Albuquerque FM, Nonino CB, Borges RM, Marchini JS. Hiperuricemia em Obesas Sob Dieta Altamente Restritiva. Arq Bras Endocrinol Metab. 2003;47/3:266-270. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/abem/v47n3/16497.pdf. Acessado em 17/03/2006.

Peixoto MRG, Monego ET, Jardim PCBV, et al. Diet and medication in the treatment of hyperuricemia in hypertensive patients. Arq Bras Cardiol. 2001:76(6):468-472. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0066-782X2001000600004. Acessado em 17/03/2006.

Gota. Arthritis Foundation. Apoiado pela Sociedade Brasileira de Reumatologia. Disponível em: http://www.reumatologia.com.br/images/gota.pdf. Acessado em 17/03/2006.

Cuppari L, Avesani CM, Mendonça COG, Martini LA, Monte JCM. Doenças Renais. In: Cuppari L. Guia de nutrição: nutrição clínica no adulto. Barueri; Manole, 2002. p. 167-199.

Franzese TA. Terapia Clínica Nutricional nos Distúrbios Reumatáticos. In: Mahan LK, Escott-Stump S. Krause alimentos, nutrição e dietoterapia. 10ed. São Paulo; Roca, 2002. p. 937-951.




 
 




In compliance since 2001




 
 
Copyright by Nutritotal. Todos os direitos reservados.     Tecnologia : Fermo Sistemas .     Design gráfico : Junco Estúdio Gráfico    Videos : PW Video Server