Tamanho do texto maiorTamanho do texto pequeno
E-Mail
Senha
 
 
  Esqueci a senha  
  Acesso bloqueado  
  Cadastre-se

 
  Notas e Notícias
  Perguntas & Respostas
  Nutriletter
  Teses e monografias
  Diretrizes e Legislação
  Manuais
  Anais de Congressos
  Entrevistas
  Aulas
  Tabelas
  Pirâmides
  Cálculos
  Livros
  Links
  Glossário
 
  Anorexia e Caquexia
  Diabetes
  Imunonutrição
  Fibras
  Nutrição Parenteral
  Probióticos
  Nutrição e Saúde Ideal
  Suplementos Orais
  Terapia Nutricional
  Nutrição Enteral
  Paciente Crítico
  Lipídios em NE
  Nut. Perioperatória
  Fibras em NE
  Nutrição Clínica
  Fórum HMB
  Nutribunal & NSI
  Probióticos em cápsulas
 
  Nutrirepórter
 
  Enquete
  Cartas
  Agenda de eventos
  Ajuda
  Fale Conosco
 
  Quem Somos
  Mapa do Portal
 
  ICNSO
  GANEP
 

 
 
 


 
 
DETALHES - P&R

Autor(a):       Mariana C. Raslan
Data:             15/03/2007 11:21:49


Como a nutrição está envolvida com a dermatite atópica?

A dermatite atópica (DA) é uma dermatose inflamatória freqüente nos países industrializados, com grande impacto socioeconômico, sendo uma das doenças de caráter crônico mais comuns da atualidade. Está associada a imunidade e reações celulares a determinados fatores de estímulo exógenos (1). Há teorias defendendo que mudanças na dieta humana provenientes da industrialização influenciam na composição da flora bacteriana e na resposta inflamatória, fatores envolvidos na etiopatogenia da DA (2).

Estudos relatam que a DA pode ocorrer devido a sensibilização alimentar, sendo determinados alimentos, como leite, ovos, farinha de trigo, soja e outros, considerados “alergênicos”.  Como geralmente essa intolerância alimentar ocorre em crianças, o alimento deve ser novamente oferecido a cada dois ou três anos com a finalidade de testar a adaptação. Há casos em que crianças e adultos continuam apresentando a DA mesmo após anos da primeira exposição, ou seja, não há readaptação do organismo (3,4).

Sabe-se que o leite materno e a amamentação são indicados como proteção da criança em relação à imunidade, prevenção de desenvolvimento de intolerância ao leite industrializado ou de vaca, dentre outros benefícios inquestionáveis já conhecidos e estudados anteriormente. Sugere-se também que a amamentação reduz o risco da DA, incentivando-se o aleitamento materno especialmente em casos de história familiar de DA (5).


Bibliografia (s)

1. Hennino A et al. Fisiopatologia da dermatite de contato alérgica: papel das células T CD8 efetoras e das células T CD4 regulatórias. An Bras Dermatol 2005; (80):4. p. 1-13.

2. McGeady SJ. Immunocompetence and allergy. Pediatrics 2004;113(4 Suppl):1107-13.

3. Fernández-Benítez M. Implicación etiológica de los alimentos en la dermatitis atópica: datos a favor. Allergol Immunopathol 2002; 30:114-120.

4. Allen KJ, Hill DJ, Heine RG. Food allergy in childhood. J Aust 2006; 185(7):394-400.

5. Kilchevsky E. Atopic Dermatitis and Breastfeeding. Pediatrics 2004; 114(4): 1129.




 
 




In compliance since 2001




 
 
Copyright by Nutritotal. Todos os direitos reservados.     Tecnologia : Fermo Sistemas .     Design gráfico : Junco Estúdio Gráfico    Videos : PW Video Server