Tamanho do texto maiorTamanho do texto pequeno
E-Mail
Senha
 
 
  Esqueci a senha  
  Acesso bloqueado  
  Cadastre-se

 
  Notas e Notícias
  Perguntas & Respostas
  Nutriletter
  Teses e monografias
  Diretrizes e Legislação
  Manuais
  Anais de Congressos
  Entrevistas
  Aulas
  Tabelas
  Pirâmides
  Cálculos
  Livros
  Links
  Glossário
 
  Anorexia e Caquexia
  Diabetes
  Imunonutrição
  Fibras
  Nutrição Parenteral
  Probióticos
  Nutrição e Saúde Ideal
  Suplementos Orais
  Terapia Nutricional
  Nutrição Enteral
  Paciente Crítico
  Lipídios em NE
  Nut. Perioperatória
  Fibras em NE
  Nutrição Clínica
  Fórum HMB
  Nutribunal & NSI
  Probióticos em cápsulas
 
  Nutrirepórter
 
  Enquete
  Cartas
  Agenda de eventos
  Ajuda
  Fale Conosco
 
  Quem Somos
  Mapa do Portal
 
  ICNSO
  GANEP
 

 
 
 
Nutrição Oral - Data de Publicação: 18/03/2008 (Terça-Feira)

Caro(a) leitor(a), veja as novidades desta semana no NUTRITOTAL
 
FEIJÃO E SOJA: ajudam na perda de peso?
 
 Feijão e soja são alimentos ricos em nutrientes, pois contêm proteínas vegetais, carboidratos complexos, fibras dietéticas, fitoquímicos (especialmente as isoflavonas derivadas da soja) e minerais essenciais para a saúde. Por outro lado, contêm baixo teor de gordura saturada e sódio, além de não conterem colesterol(1). Os principais nutrientes encontrados nestes alimentos estão mostrados na tabela abaixo(2).

Tabela. Perfil nutricional do feijão e da soja expresso por 100g de alimento seco. Clique para abrir


É importante salientar que a inclusão de feijão e soja na dieta é uma excelente estratégia para aumentar o consumo de fibras dietéticas. A presença de fibras é essencial em dietas de emagrecimento, pois atenuam a ingestão alimentar e o ganho de peso corporal(3). Sobrepeso e obesidade, quando o peso corporal é maior que o considerado saudável para a respectiva altura, predispõem o indivíduo a doenças e outros problemas de saúde(4), tais como hipertensão, dislipidemia, diabetes mellitus tipo 2, doenças coronarianas, acidente vascular cerebral, disfunção da vesícula biliar, osteoartrite, apnéia do sono, problemas respiratórios e alguns tipos de câncer(5).

As fibras dietéticas solúveis e insolúveis, presentes nestes alimentos, também contribuem para a manutenção do nível glicêmico e para a melhora da sensibilidade à insulina(6). Cabe ressaltar que ambos (feijão e soja) apresentam baixo índice glicêmico, relevante na prevenção e tratamento de diabetes e obesidade(7).

Além das fibras, o feijão e a soja também são fontes de proteínas, que parecem exercer maior efeito sobre a saciedade do que os carboidratos e gorduras, porém ainda há controvérsias(8-9). A ingestão de proteína associada ao exercício físico regular pode favorecer a formação de massa muscular, que por sua vez, aumenta o gasto energético, favorecendo o emagrecimento. Estudos experimentais(10-16) e clínicos(17-22) têm mostrado os efeitos favoráveis da proteína da soja sobre a prevenção e tratamento da obesidade, já que estes benefícios são pouco conhecidos e seu consumo é baixo pela população brasileira, ao contrário do feijão (23). No entanto, o consumo excessivo de proteína deve ser evitado, pois pode desencadear doenças renais, especialmente em indivíduos obesos, já propensos ao desenvolvimento do problema.

Em particular, o feijão contém uma glicoproteína chamada de faseolamina que inibe a ação da enzima alfa-amilase e conseqüentemente a conversão dos carboidratos em glicose. Este efeito de reduzir a absorção de glicose diminui a ingestão energética resultando em menor ganho de massa corporal. Além disso, este efeito auxilia a manutenção dos níveis normais de glicose (24).

Por outro lado, um dos principais fitoesteróis encontrados na soja são os isoflavonóides. O concentrado de soja contém alto teor de isoflavonóides, porém a quantidade deste componente da soja apresenta variação conforme região de cultivo, armazenamento e processamento industrial (25-26). A genisteína é um isoflavonóide responsável pela inibição da enzima alfa-glicosidade. O bloqueio da ação desta enzima retarda a digestão de carboidratos no trato intestinal, reduzindo a hiperglicemia pós-prandial e o nível de insulina plasmática, de forma similar a faseolamina (27-28). Além disso, a genisteína tem efeito redutor de lipídios plasmáticos, especialmente na presença de hipercolesterolemia (29-30). Portanto, os isoflavonóides podem prevenir doenças crônicas não-transmissíveis especialmente por reduzir glicose e lipídios plasmáticos que, por sua vez atuam como agentes protetores contra doenças coronarianas, diabetes mellitus e obesidade (31-32).

Assim, o consumo de feijão e soja parece ser favorável na promoção da saúde, redução de peso e prevenção da obesidade, desde que associados a bons hábitos alimentares e exercícios físicos regulares. É importante salientar que estes alimentos devem ser consumidos com moderação dentro de uma dieta balanceada e que sua preparação não deve conter alimentos ricos em gordura saturada, que aumentam o valor calórico e predispõem à doenças cardiovasculares.

Regina Watanabe
Nutricionista. Doutora em Ciências pela Universidade Federal de São Paulo.



Referências:
1. Geil PB, Anderson JW. Nutrition and health implications of dry beans: a review. J Am Coll Nutr. 1994;13(6):549-58.

2. Anderson JW, Smith BM, Washnock CS. Cardiovascular and renal benefits of dry bean and soybean intake. Am J Clin Nutr. 1999;70(3 Suppl):464S-474S.

3. Delzenne NM, Cani PD. A place for dietary fibre in the management of the metabolic syndrome. Curr Opin Clin Nutr Metab Care. 2005;8(6):636-40.

4. Centers for Disease Control and Prevention. Defining Overweight and Obesity. Disponível em: htt
p://www.cdc.gov/. Acessado em 08/02/2008.

5. Centers for Disease Control and Prevention. Introduction. Disponível em: http://www.cdc.gov. Acessado em 08/02/2008.

6. Anderson JW, Akanji AO. Dietary fiber--an overview. Diabetes Care. 1991;14(12):1126-31.

7. Brennan CS. Dietary fibre, glycaemic response, and diabetes. Mol Nutr Food Res. 2005;49(6):560-70.

8. Rolls BJ. Carbohydrates, fats, and satiety. Am J Clin Nutr. 1995;61(4 Suppl):960S-967S.

9. Hermsdorff HH, Volp AC, Bressan J. Macronutrient profile affects diet-induced thermogenesis and energy intake. Arch Latinoam Nutr. 2007;57(1):33-42.

10. Caldwell CR, Britz SJ, Mirecki RM. Effect of temperature, elevated carbon dioxide, and drought during seed development on the isoflavone content of dwarf soybean [Glycine max (L.) Merrill] grown in controlled environments. J Agric Food Chem. 2005;53(4):1125-9.

11. Iritani N, Hosomi H, Fukuda H, Tada K, Ikeda H. Soybean protein suppresses hepatic lipogenic enzyme gene expression in Wistar fatty rats. J Nutr. 1996;126(2):380-8.

12. Iritani N, Sugimoto T, Fukuda H, Komiya M, Ikeda H. Dietary soybean protein increases insulin receptor gene expression in Wistar fatty rats when dietary polyunsaturated fatty acid level is low. J Nutr. 1997;127(6):1077-83.

13. Aoyama T, Fukui K, Takamatsu K, Hashimoto Y, Yamamoto T. Soy protein isolate and its hydrolysate reduce body fat of dietary obese rats and genetically obese mice (yellow KK). Nutrition. 2000;16(5):349-54.

14. Aoyama T, Fukui K, Nakamori T, Hashimoto Y, Yamamoto T, Takamatsu K, et al. Effect of soy and milk whey protein isolates and their hydrolysates on weight reduction in genetically obese mice. Biosci Biotechnol Biochem. 2000;64(12):2594-600.

15. Nagasawa A, Fukui K, Funahashi T, Maeda N, Shimomura I, Kihara S, et al. Effects of soy protein diet on the expression of adipose genes and plasma adiponectin. Horm Metab Res. 2002;34(11-12):635-9.

16. Mezei O, Banz WJ, Steger RW, Peluso MR, Winters TA, Shay N. Soy isoflavones exert antidiabetic and hypolipidemic effects through the PPAR pathways in obese Zucker rats and murine RAW 264.7 cells. J Nutr. 2003;133(5):1238-43.

17. Johnson PR, Stern JS, Horwitz BA, Harris RE Jr, Greene SF. Longevity in obese and lean male and female rats of the Zucker strain: prevention of hyperphagia. Am J Clin Nutr. 1997;66(4):890-903.

18. Mikkelsen PB, Toubro S, Astrup A. Effect of fat-reduced diets on 24-h energy expenditure: comparisons between animal protein, vegetable protein, and carbohydrate. Am J Clin Nutr. 2000;72(5):1135-41.

19. Bosello O, Cominacini L, Zocca I, Garbin U, Compri R, Davoli A, et al. Short- and long-term effects of hypocaloric diets containing proteins of different sources on plasma lipids and apoproteins of obese subjects. Ann Nutr Metab. 1988;32(4):206-14.

20. Yamashita T, Sasahara T, Pomeroy SE, Collier G, Nestel PJ. Arterial compliance, blood pressure, plasma leptin, and plasma lipids in women are improved with weight reduction equally with a meat-based diet and a plant-based diet. Metabolism. 1998;47(11):1308-14.

21. Allison DB, Gadbury G, Schwartz LG, Murugesan R, Kraker JL, Heshka S, et al. A novel soy-based meal replacement formula for weight loss among obese individuals: a randomized controlled clinical trial. Eur J Clin Nutr. 2003;57(4):514-22.

22. Deibert P, König D, Schmidt-Trucksaess A, Zaenker KS, Frey I, Landmann U, et al. Weight loss without losing muscle mass in pre-obese and obese subjects induced by a high-soy-protein diet. Int J Obes Relat Metab Disord. 2004;28(10):1349-52.

23. Velasquez MT, Bhathena SJ. Role of dietary soy protein in obesity. Int J Med Sci. 2007;4(2):72-82.

24. Udani J, Hardy M, Madsen DC. Blocking carbohydrate absorption and weight loss: a clinical trial using Phase 2 brand proprietary fractionated white bean extract. Altern Med Rev. 2004;9(1):63-9.

25. Eldridge AC, Kwolek WF. Soybean isoflavones: effect of environment and variety on composition. J Agric Food Chem. 1983;31(2):394-6.

26. Setchell KD, Brown NM, Desai P, Zimmer-Nechemias L, Wolfe BE, Brashear WT, et al. Bioavailability of pure isoflavones in healthy humans and analysis of commercial soy isoflavone supplements. J Nutr. 2001;131(4 Suppl):1362S-75S.

27. Toeller M. alpha-Glucosidase inhibitors in diabetes: efficacy in NIDDM subjects. Eur J Clin Invest. 1994;24 Suppl 3:31-5

28. Lee DS, Lee SH. Genistein, a soy isoflavone, is a potent alpha-glucosidase inhibitor. FEBS Lett. 2001;501(1):84-6.

29. Sirtori CR, Lovati MR. Soy proteins and cardiovascular disease. Curr Atheroscler Rep. 2001;3(1):47-53.

30. Park D, Huang T, Frishman WH. Phytoestrogens as cardioprotective agents. Cardiol Rev. 2005;13(1):13-7.

31. Munro IC, Harwood M, Hlywka JJ, Stephen AM, Doull J, Flamm WG, et al. Soy isoflavones: a safety review. Nutr Rev. 2003;61(1):1-33.

32. Ren MQ, Kuhn G, Wegner J, Chen J. Isoflavones, substances with multi-biological and clinical properties. Eur J Nutr. 2001;40(4):135-46.
 
 

Para cancelar o envio de Nutriletter, após se logar no site, altere a opção em Meus Dados.
©Copyright by Nutritotal. Todos os direitos reservados Design: Junco Estúdio Gráfico Tecnologia: Fermo
 
 




In compliance since 2001




 
 
Copyright by Nutritotal. Todos os direitos reservados.     Tecnologia : Fermo Sistemas .     Design gráfico : Junco Estúdio Gráfico    Videos : PW Video Server